big fish casino gold bars promo code texas holdem norsk how to win big on online roulette diy poker table with lights no download no deposit free bonus casino artrix poker

Crescer dói?!

Independente de como a realidade se apresenta, temos que considerar a forma como cada criança a sente e interpreta. Ainda que tudo seja fruto de uma percepção distorcida, constitui-se como verdade para ela, e dessa maneira é internalizada. (Trecho do livro “Crescer Dói?!”, pag. 63) 

Voltando a viver
Foto: Arquivo Internet

O filme que o EducArte sugere este mês é o retrato fiel de que a espécie humana é  eterna prisioneira da infância, inconsciente, é claro, e que crescer dói, mas que liberta. Voltando a viver (Antwone Fisher, título original) é uma película lançada em 2002, mas com referências atuais, já que a história é  narrada a partir de fatos reais, escrita pelo próprio personagem central e transformada em filme.

Voltando a viver narra a verdadeira história do negro Antwone Fisher, marujo da Marinha dos Estados Unidos, que sofreu inúmeros traumas do nascimento e durante a vivência com sua família adotiva, como abuso físico, sexual e psicológico na infância, tendo-se tornado um jovem adulto com comportamento desafiador e violento, além da baixa estima e rejeição.

O filme reflete também sobre como a terapia individual sistêmica, realizada por seu terapeuta, trabalhando suas feridas, suas perdas e revelando seus segredos, seus esconderijos psíquicos, modifica o paciente, sua família e o terapeuta, possibilitando que Antwone consiga estabelecer uma relação amorosa qualificada com uma colega e encontre sua família biológica. Em paralelo, a vida do psiquiatra também sofre modificações, evidenciando como uma boa terapia mobiliza também o self do terapeuta.

Do sonho feliz à dura realidade

Antwone Fisher

Sob a direção do ator Denzel Washington, que também desempenha o papel do psiquiatra Gerome Davenport, o filme inicia com sonho de  Antwone: ele, criança de sete ou oito anos, é recebido em um grande galpão, com deferências especiais e uma mesa cheia das melhores iguarias. Em torno dessa grande mesa, muitas pessoas sorridentes e acolhedoras prestam reverência ao pequeno Antwone, que se senta à cabeceira como um rei, orgulhoso e feliz com toda aquela atenção. Acorda suando, dando-se logo conta de que está em sua cama, no alojamento do navio.

download (3)
Foto: Arquivo da Internet

Seguem-se alguns diálogos provocativos entre os marujos, e, em resposta, Antwone ataca o colega a socos e é contido pelos demais. Após, é levado ao Comandante, diante do qual assume sua culpa, alegando “agressão racial”. Apesar disso, é considerado culpado, sendo multado e confinado no navio, além de ser rebaixado de nível e encaminhado ao psiquiatra. Para saber o desfecho desta interessante trama, sugerimos que assista Voltando a viver, pois sua linguagem é universal. Fala de mim, fala de você. Confira!

 

Fonte: www.infapa.com.br/wp-content/uploads/2011/05/voltando_viver.doc

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima