Os Ciclos Sentimentais/Emocionais e suas Repetições

Acreditar que a vida é distinta por fases, hoje, faz parte das minhas crenças e conceitos. Crer que nascemos, crescemos e morremos ou que temos a infância, a adolescência, a maturidade e a velhice, era para saber que temos começo, meio e fim aqui neste processo chamado vida. Mas, vivenciar cada período desse, como tal, é o que mostra a ignorância de ser e viver sem me perceber.

Porém, começo a perceber, com todo o cabedal de informação trazido pelo Sistema Tempo de Ser, que a vida tem fases e períodos distintos e que, na fase da infância, de 0 a 3 anos, somos formatados por nossos pais, educadores e pessoas ao nosso redor, e isso pode gerar traumas que irão permear toda a vida através de ciclos, que irão repetir-se de tempos em tempos, para que eu possa reviver os traumas.

Sendo isso analisado e mapeado, percebi, nas minhas vivências, que estes ciclos acontecem em fases de abundância e escassez financeira e em ciclos sentimentais e/ou emocionais que se convergem, às vezes, em um mesmo momento. Ou seja, independentemente do que esteja fazendo ou realizando profissionalmente, ou na vida pessoal, consegui perceber que sempre, nos mesmos períodos do ano, sendo eles próximos ao meio e ao término de cada ano, tenho dificuldades ora financeiras, ora sentimentais e ora emocionais, que acabam atingindo até mesmo minha saúde física.

Uma dessas vivências que marcou foi uma paixão em que acreditava não ser correspondido e em que a proximidade de tal pessoa trazia para mim um grande desajuste emocional e sentimental. Creio que um dos motivos para tal dificuldade fora não ter o êxito da conquista ou até mesmo por ter usado uma estratégia que não funcionou, ter me aproximado de alguém de que tal pessoa não gostava para atrair a atenção dela; essa vivência deixou uma lacuna com a pessoa, só sendo percebida por estímulos no Sistema Tempo de Ser. O meu contato com essa pessoa costumava ser sempre ao término de cada ano.

Outra vivência em que tive um grande abalo emocional foi na vida profissional, agora por ter acreditado haver constituído um emprego que me daria uma autonomia financeira. Logo, sendo informado de que não mais faria parte daquela empresa, senti um grande desajuste financeiro e emocional. Esse evento também ocorreu no término do ano. Em síntese, acredito que este abalo ocorreu porque me havia apaixonado pela minha conquista e por tudo o que estava acontecendo e que assim era insubstituível.

Vejo que a paixão está relacionada a essas duas vivências citadas acima, como informação trazida pelo Sistema Tempo de Ser, a pessoa que se apaixona fica cega, entra em um mundo de fantasia e carência, onde tudo é ilusão e imaginação; sem percepção da realidade, perde a condição de gerar fluxo, pois acredita que tudo vai acontecer e não se movimenta para isso. Logo, entra em um processo de escassez e de tristeza, pois não tem retorno do que se espera.

Sendo assim, hoje estou no processo de compreender e saber o que me leva a esses ciclos e qual seriam esses traumas a serem repetidos. Busco, nas informações da minha infância, vivências que possam ter criado esses traumas e, por consequência, conseguir ver todo movimento em ação. O que sei é que estou mais atento para todos esses processos e que mesmo que as dificuldades financeiras, emocionais ou sentimentais vierem eu estarei um pouco mais em mim.

Educador: Eduardo Ferreira Bertolin

Núcleo de Birigui

 



Contos e Autoencontros

A não compreensão e entendimento do mundo interior levam-nos à busca de efetivar meios de auto-observação, para que fiquem visíveis atitudes e sentimentos que nos movimentam. Um dos meios para observarmos nossas movimentações é a descrição do nosso percurso como educador de essencialidades. O texto publicado anteriormente é uma autodescrição resultante de um projeto elaborado pelos Educadores de Essencialidades do Núcleo de Aprendizagem de Birigui do Sistema Tempo de Ser, dentro da atividade do grupo vespertino de Prática de Inteligência Mediúnica. O projeto tem como proposta a exposição ao meio social das repercussões dos estímulos de autoaprendizagem aos educadores de essencialidades nos ambientes do Sistema Tempo de Ser. Durante sua execução, tem sido considerado que o “autoencontro” pode ocorrer a partir da auto-observação e autodescrição dos “Contos” (história imaginada) que permeiam a existência humana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *