Algumas Reflexões sobre a Reencarnação e a Inconsciência  Psíquica – Necessidade e Funcionalidade da Reencarnação Atividade de Área – NA-BGU

Algumas Reflexões sobre a Reencarnação e a Inconsciência  Psíquica – Necessidade e Funcionalidade da Reencarnação Atividade de Área – NA-BGU

 

Nas edições de n. 127/128, de maio e junho de 2015, do ano XIII, do Informativo do Sistema Tempo de Ser, respectivamente, foi publicado, em continuidade, a temática acima que, dada sua importância e relevância, resgatamos, nesta oportunidade, através desta ferramenta, a qual assim dispõe:

 

O conteúdo que segue são questões e reflexões elaboradas em forma de perguntas e respostas, através de uma Síntese Conclusiva Temporária, que serão divulgadas neste veículo de comunicação do Sistema Tempo de Ser, decorrentes dos estímulos trazidos pela Equipe de Amor à Luz e de aprofundamentos realizados em parceria pelos Educadores de Essencialidades no Núcleo de Aprendizagem de Birigui (SP). Essas questões foram apresentadas em agosto de 2014, na atividade de área daquele Núcleo, cujo eixo temático se denomina Necessidade e Funcionalidade da Reencarnação e dimensionadas posteriormente pelos coordenadores dessa atividade, com os demais educadores daquela localidade, conforme referenciado no Editorial. 

Foto: pixabay.com

Foto: pixabay.com

  1. Por que no homem há ausência de compreensão sobre as três principais circunstâncias que o envolvem: nascer – existir – morrer?

Considerando o homem como plataforma psíquica, este é um instrumento ou ferramenta psíquica e, como tal, não traz em si a capacidade de desenvolver informação, conhecimento, entendimento, compreensão por aquilo que ele não experimenta. O homem não nasce, não existe e não morre.

 

  1. Ausência pressupõe falta, portanto, existe uma necessidade que não é suprida?

Sim. Não é suprida nem sequer conhecida.

 

  1. A ausência do suprimento de uma necessidade gera escassez e miséria?

Sim. A ordem ou organização vigente começa a passar por outras dimensões de ordem, uma “aparente desordem”. Os recursos existentes e conhecidos no ambiente começam a ser explorados desordenadamente e consumidos sem propósito e sem significado. As buscas inconscientes para suprir a suposta necessidade, sem conhecê-la, começa com o consumo desordenado de recursos ambientais, produzindo escassez em primeiro âmbito e, depois, miséria de recursos.

thoughts-551263_1920

Foto: pixabay.com

  1. Qual a maior falta do homem na atualidade?

Como vocês começam a perceber, o homem não tem necessidades, pois todas que ele manifesta estão diretamente relacionadas à busca psíquica pela origem. A maior necessidade psíquica da atualidade é a organização de um método inteligente para a ciência de si.

 

  1. No homem está ocorrendo ausência de quê?

Ausência de sentido para a forma de vida humana, pois esta pensa, sente, contempla o mundo e o céu, porém, nada sabe sobre si mesma. Qual a importância, então, de pensar, sentir, conhecer o mundo e não entender os porquês de si mesmo?

 

  1. Nascer, existir, sofrer e morrer são experiências que ocorrem de fato onde? No ambiente em que o homem vive ou na sua intimidade?

Em sua interpretação. Para o homem, um fruto cair maduro de uma árvore, estourar e liberar a semente para penetrar no solo e germinar, dando ensejo a outra árvore frutífera, é absolutamente natural. Porém, quando ocorre o mesmo ciclo com ele, amedronta-se e desespera-se por não observar, construir o conhecimento sobre si e, assim, compreender as razões dos ciclos existenciais. A função do instrumento humano é sobreviver.

Foto: pixabay.com

Foto: pixabay.com

  1. O que há na intimidade do homem que o angustia, que o leva a sentir vazio existencial, que o coloca diante da ausência de significado? De onde vêm estas forças abstratas, invisíveis com que ele não consegue lidar?

A fonte desconhecida, inteligente e sensível da vida, porém inconsciente. Estas forças vêm da interação dela com o meio ambiente, na busca por si mesma, ao sentir os movimentos destas forças e o vazio existencial, a psique dá mostras de sua presença no instrumento humano.

 

  1. O que no homem produz o estado de indiferença ao que ocorre no meio, desde que não seja consigo ou com os seus?

A inconsciência psíquica e nela a ausência de sentido na forma humana atual.

 

  1. Por que é tão comum e habitual ao homem viver como se fosse normal a anormalidade?

Talvez a anormalidade dê indícios de que a vida humana não está desenvolvendo sua finalidade, consequentemente, por mais absurdo que seja um fato, o homem precisa sobreviver a ele, mesmo que seja “normalizando” as circunstâncias (adaptação ao meio).

 

  1. Por que ele (o ser humano) é tão dependente de cuidados e proteção e vive como se fosse inatingível às circunstâncias do existir?

A psique entabula* sua busca inconsciente – pela origem – guiada por uma força infantil que busca a origem materna. A força infantil não tem referência de si, fá-lo pela mãe e pela busca da mesma, em todos os lugares e em todas as pessoas, como forma de dar segmento à busca psíquica. Porém, na fusão entra a força psíquica e a infantil, produz a dualidade, a busca pela mãe e o medo do desaparecimento definitivo dela, bem como a busca pela origem psíquica, que transpõe qualquer obstáculo, sendo o maior de todos eles a fusão entre as forças.

Foto: pixabay.com

Foto: pixabay.com

11) Qual a relação destas argumentações com o autoconhecimento?

A ausência materna para a psique na fase infantil gerou o medo da morte. A fusão entre as forças biológica, psicológica e psíquica fez com que a psique inconsciente, pelo âmbito da sensibilidade, se reconhecesse na sua origem biológica. A ignorância, estimulada pela busca de fatores exteriores, não aponta para a ignorância sobre si mesmo, mantendo a inconsciência psíquica aprisionada em um comportamento infantil, carente e não observador. A reencarnação completa-se em ciclos que justificam a inconsciência psíquica e a necessidade de ciência do si mesmo. A ausência de si em si produz, na atualidade, escassez de afeto, de atenção, bem como a afetação por quadros dolorosos individuais e sociais. Produz miséria nos relacionamentos, dissensões** religiosas, científicas e filosóficas, pois não há observação e sim visão interpretativa, superatividade, movimentos do ego, manhas e caprichos que conduzem à defesa pelo ataque. Somente o autoconhecimento poderá dissolver a fusão entre forças, embora as tornando aparelhadas e direcionadas pela força sensível e inteligente do seu criador: “a psique”.

 

Carlos Roberto de Moraes e Devair Muchiutti
Coordenadores de Atividade
Comissão Gestora do NA-BGU

 

*Entabular (v.t): Colocar em ordem, dispor ou organizar; preparar, começar ou estabelecer (relações).
** Dissensão (s.f.): Divergência de opiniões entre duas ou mais pessoas, qualidade daquilo que diverge.
Fontes: http://www.lexico.pt/entabular /  http://www.dicio.com.br/dissensao/

Resgate: Equipe de Comunicação do Sistema Tempo de Ser

 

2017-03-13T20:51:41+00:00 27/06/2016 |Núcleo de Birigui|0 Comentários

Deixar Um Comentário

Power by

Download Free AZ | Free Wordpress Themes